Conheça as estratégias para recria em rebanhos leiteiros

Publicado em: 14 de janeiro, 2021 - por Janaina Campos
recria em rebanhos leiteiros

A fase de recria é o período compreendido entre o desmame da bezerra e sua cobrição. Dessa forma, o manejo da recria em rebanhos leiteiros é chave para o sucesso produtivo da atividade. Pois em conjunto com o manejo de cria  vai garantir a sanidade e bom desenvolvimento dos animais. O que contribuirá com a sua eficiência de produção na vida adulta.

Veja quais são os principais aspectos da recria que você precisa adotar para ter uma boa produção! 

Alimentação na recria

A alimentação de novilhas deve ser realizada com alimentos e também com água de qualidade. O ganho de peso é altamente dependente da nutrição e esta, por sua vez, também exerce influência na idade do primeiro parto.

Desde o nascimento até os 6 meses devem ser fornecidos em torno de 1 a 2 quilos de concentrado aos animais, conforme o arraçoamento. Para o fornecimento do volumoso adota-se a proporção de porcentagem do peso vivo de acordo com a forragem ofertada. Além disso, recomenda-se que nesta fase seja fornecido prioritariamente volumoso de alta qualidade 

Ganho de Peso e Reprodução

O principal critério para que uma novilha possa entrar em sua vida reprodutiva é o seu peso. Na prática, quando a fêmea atinge 60% do peso quando adulta ela já pode ser inseminada. 

Infere-se que com este manejo o animal alcançará 85% do peso previsto para sua vida adulta no até o momento do parto, ou seja, durante a gestação será nutrida de maneira tal que permita a manutenção e desenvolvimento de si e do feto.

As metas de ganho de peso dos animais em fase de recria dependerão da idade à primeira inseminação desejada pelo produtor. Entretanto, dos 3 aos 11 meses deve-se atentar ao ganho de peso, já que ganhos superiores à 1kg diário podem ocasionar um acúmulo de gordura na glândula mamária e comprometer a produção de leite quando adulta.

A glândula mamária se desenvolve em duas fases, uma isométrica e outra alométrica. A primeira tem por característica o desenvolvimento da glândula na mesma velocidade que os demais tecidos corporais 

Já a fase alométrica é quando o crescimento da glândula ocorre de 3 a 4 vezes mais. Esta fase ocorre entre os 3 e 11 meses, por isso o manejo alimentar nesse momento deve ser devidamente planejado.

Manejo Sanitário

Em um rebanho leiteiro a sanidade é fator determinante na entrega de um leite que garanta a segurança alimentar dos consumidores. Dessa forma, em todas as fases do ciclo de vida dos bovinos é necessário estruturar e praticar um bom manejo sanitário.

Os animais da cria e da recria em rebanhos leiteiros devem ser vistoriados diariamente para conferência de possíveis enfermidades e infestações de ectoparasitas.

Carrapatos, bernes e bicheiras são os principais exemplos de ectoparasitas. Os carrapatos podem ser controlados com banhos ou puron. Os bernes e bicheiras são larvas de moscas, portanto, a manutenção de um ambiente limpo é o controle mais efetivo desses insetos.

Além disso, carrapatos são vetores da Tristeza Parasitária Bovina (TPB) uma das principais enfermidades das fases de cria e recria. Demonstrando a importância de seu controle a fim de prevenir a doença.

Em contrapartida, é recomendado o controle estratégico de endoparasitas por meio da vermifugação no final do período das chuvas.

Vacinação

Para garantir boa sanidade e evitar doenças graves, a vacinação dos bovinos leiteiros deve começar ainda na fase de cria. A partir dos 3 meses de vida, a novilha deve ser vacinada em dose única contra brucelose e anualmente contra raiva e febre aftosa.

Aos 4 meses realiza-se a primeira dose contra carbúnculo, que deve ser reforçada aos 6 e 18 meses. Também é recomendada a vacinação contra rinotraqueíte infecciosa (IBR), diarreia viral bovina (BVD) e leptospirose a partir dos 3 meses de vida. 

Bezerra e novilhas são as futuras vacas

Embora muitas vezes as fases de cria e recria em rebanhos leiteiros pareçam trazer apenas gastos, o retorno é obtido no longo prazo visto que todas ações nessas fases refletem na produção de leite futura.

Portanto, esteja sempre vigilante com suas bezerras e novilhas para que seu rebanho retorne bons resultados no presente e no futuro.

E para obter mais informações e conhecer melhor os manejos de cada fase da vida de vacas leiteiras seja membro da nossa Comunidade Gado de Leite. 
Fontes: Embrapa, Revista Leite Integra